Você entende a importância da embalagem para as confeitarias?

Que o ser humano também come com os olhos, nós já sabemos. Mas essa vontade de comer que a aparência dos alimentos provoca não é despertada apenas pelo visual do próprio produto. As embalagens também têm um papel fundamental nesse sentido, já que ajudam a valorizar ainda mais o alimento.

Na confeitaria, essa importância da embalagem é ainda maior. Isso porque além de dar destaque às delícias, elas fazem com que os alimentos se tornem verdadeiros presentes — o que já é muito comum no segmento.

Por fim, a escolha das embalagens adequadas vai influenciar diretamente na conservação dos alimentos. Lembre-se de que os bolos, pães e biscoitos, por exemplo, respondem de maneiras diferentes quando são armazenados em plástico, papel ou vidro.

Vamos discorrer mais sobre o assunto neste texto. Acompanhe!

A importância da embalagem para a conservação do alimento

Entre os materiais mais comuns utilizados na confeitaria para a embalagem dos produtos estão o plástico, o papel (ou o papelão), o papel laminado e o isopor. É certo que, nesse segmento, quanto mais fresco estiver o produto, melhor; mas esses invólucros podem ajudar a conservar mais — ou menos — os alimentos.

As embalagens de plástico com tampa, por exemplo, são muito apreciadas para os bolos, já que além de conservar o produto, ajudam a transportá-lo com segurança e permitem que o cliente veja o alimento em sua integridade.

Ainda falando sobre os bolos e tortas, existem no mercado embalagens forneáveis, tanto de papelão quanto de papel laminado, que permitem que a receita vá direto para o forno e depois seja vendida. Dessa forma, há menos manipulação do alimento e o transporte também fica mais fácil.

Já o isopor e o papel são mais indicados para o transporte rápido, já que são mais frágeis, não suportam peso e não retêm a umidade do alimento: em pouco tempo, os bolos e doces já começam a ressacar.

A influência da embalagem no sabor do produto

Como você pode ver, as embalagens têm uma influência direta sobre os alimentos, e não se trata apenas da textura e da própria aparência do produto.

É preciso considerar, por exemplo, que os diferentes tipos de materiais vão interferir na umidade, na passagem de luz e de odores. Ou seja, a proteção incorreta vai fazer com que até mesmo o sabor do alimento seja alterado.

Como consumidor, você já comprou um bolo que tinha o gosto do plástico da embalagem ou um docinho que ficou com o famoso gosto de geladeira? Certamente, isso aconteceu por causa da escolha errada da embalagem — e isso pode ser fatal para o seu negócio!

As embalagens para presentes na confeitaria

Falamos no início deste conteúdo sobre como os produtos de confeitaria estão sendo cada vez mais escolhidos como forma de presentear. Com preços acessíveis e infinitas formas de personalização, os clientes optam por caixas de bombons, brigadeiros gourmet, pacotinhos de biscoitinhos e muitas outras delícias para fazer um mimo às pessoas queridas nas datas especiais.

Nessa hora, tão importante quanto caprichar na aparência do alimento é atentar-se à embalagem: procure por itens diferentes, de acordo com a data comemorativa (como Natal, Dia dos Namorados e Dia das Mães) e não esqueça de nenhum detalhe, desde a firmeza da embalagem até a forma de lacrá-la, com laço ou outra alternativa que conserve o produto da melhor forma. Afinal, não basta ser bonito: é preciso ser eficiente no quesito transporte e conservação, certo?

A importância da embalagem na confeitaria é a mistura ideal entre conservação e aparência. Vale a pena buscar por opções diferentes no mercado, como marmitinhas e embalagens forneáveis, apostar na personalização e avaliar qual é o material mais adequado para os produtos que você vende.

Gostou deste texto? Acompanhe outros conteúdos relacionados ao universo da confeitaria em nossas redes sociais! Estamos no Instagram, Facebook, Pinterest e YouTube!