gestao-do-capital-de-giro

O que é a gestão do capital de giro, qual sua importância e como otimizá-la?

Sobre o capital de giro todo empreendedor precisa saber. É uma prática que compõe parte do investimento de recursos para atender as necessidades da empresa, tratando da diferença entre o ativo e o passivo circulante. Para a saúde financeira, é essencial que haja uma gestão do capital de giro que consiga organizar toda essa questão da melhor forma.

Por isso, é importante entender como esse recurso funciona e como deve ser realizado, a fim de obter seus benefícios e garantir o retorno do capital. Pensando nisso, preparamos este post para explicar sobre como é essa gestão, sua importância e a melhor forma de otimizar os processos. Acompanhe!

O que é a gestão do capital de giro e qual sua importância?

A administração de uma empresa insere a gestão do capital de giro para fazer o gerenciamento dos ativos e passivos circulantes. Portanto, essa gestão garante liquidez nos negócios para cumprir o pagamento de dívidas e despesas em curto prazo, além de ter a responsabilidade de usar de forma econômica o capital de giro.

Todas as empresas têm deveres a cumprir, por isso a falta de capital de giro pode prejudicar uma organização a ponto de chegar à falência. Por isso, é imprescindível que seja realizada uma boa gestão em prol do equilíbrio financeiro, a fim de proporcionar alguns benefícios, tais como:

  • garantir maior retorno sobre o capital — as negociações com as instituições financeiras são mais vantajosas e satisfazem melhor as prioridades da empresa;
  • melhor perfil de crédito e solvência — em longo prazo pode-se notar que a saúde financeira da organização se torna cada vez mais sólida;
  • aumentar a lucratividade — com a gestão a empresa consegue maximizar sua rentabilidade;
  • melhorar a liquidez — consegue estabilizar a situação geral da empresa em períodos de crise ou de excesso de liquidez.

Como essa gestão deve ser feita?

As políticas de capital das empresas decidem qual vai ser a quantidade do capital de giro necessária para investir. A partir disso, a administração se torna responsável pelo gerenciamento de capital de giro, enquanto otimiza os custos desnecessários.

A empresa pode optar entre fontes de capital de longo prazo e curto prazo. Mesmo tendo muitas coisas semelhantes em teoria, na prática as fontes de curto prazo são mais arriscadas, sendo mais baratas que as de longo prazo. O financiamento pode ser prejudicado e as taxas de juros podem aumentar em uma renovação por não serem fixos.

Quais erros devem ser evitados?

Os riscos operacionais de uma organização aumentam em momentos de baixo capital de giro, o que pode acabar afetando diretamente o caixa da empresa. É preciso ter bastante atenção nas escolhas administrativas em um momento de crise, pois algumas ações podem fazer o quadro geral piorar mais ainda. Alguns erros que devem ser evitados são:

  • considerar apenas os fatores monetários, ignorando o fator humano, políticas e demanda;
  • depender totalmente de seus dados, pois algumas empresas não têm o suficiente para usar como base;
  • fazer uso de muitas variáveis ao mesmo tempo, como taxas rápidas e períodos de coleta;
  • não se preparar para mudanças súbitas na economia.

Os avanços tecnológicos na área industrial e empresarial ajudaram muito as empresas a se adaptarem a um novo modo de desenvolvimento econômico. Hoje em dia, há muitas tecnologias e grupos especializados em gestão do capital de giro, capazes de fazer um gerenciamento que seja mais apropriado. Por isso, não hesite em buscar a melhor forma de otimizar a administração do capital de giro da sua empresa.

Gostou do post? Tem alguma dúvida? Então entre em contato conosco e veja como podemos ajudá-lo.